sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Nine e Tem (Maratona)


 

It's Alright, It's OK
I'm so much better without you
I wont be sorry
it's alright, It's Ok
So don't you bother what I do

Manuela não quis ficar em casa aquela tarde, então Arthur nos levou para dar um passeio pela cidade. Passamos numa loja de brinquedos e fui obrigada a comprar uma nova barbie que Manuela ainda não tinha em sua tão adorada coleção, ela saiu de lá completamente alegre e saltitando. Tomamos um sorvete no caminho e dividimos um sanduíche e depois Manuela quis passear no parque onde nos conhecemos. O dia estava absolutamente lindo e sorri para o céu azul e o sol brilhante. Aproveitei o momento para ligar para minha mãe e conversar um pouco com ela, nunca tinha passado muito tempo longe dela assim e sentia sua falta.
A minha bela manhã foi por água abaixo quando eu avistei do outro lado do parque, ninguém menos que o meu ex noivo Alex, o idiota que me abandonou no dia do casamento. Estava escorada no carro conversando com Arthur quando o vi lá, todo lindo, com seus cabelos negros e sorriso sexy, e meu sangue ferveu, o que aquele palhaço fazia justo ali? Eu queria ter ido até lá e dado um belo tapa na cara dele, e dito umas boas verdades na cara dele, mas ao invés disso me peguei dando a volta no carro e abaixando, tentando me esconder para que ele não me visse.
__Demi, o que você está fazendo?__ Arthur me olhou como se eu fosse alguma espécie de maluca.
__Ta vendo o cara super lindo, de sorriso sexy, corpo musculoso, blusa vermelha e ar superior ali do outro lado do parque?
__Hum, acho que sim__ ele estreitou os olhos por cima do carro para tentar ver melhor__ o que tem ele?
__É meu ex noivo__ eu fiz careta enquanto escorava a cabeça na porta do carro, ali abaixada feito uma pateta.
__Ok, e você está se escondendo... Por quê?__ me encarou curioso.
__Faz quase dois anos que ele me abandonou, ele está ali todo lindo e presunçoso e eu aqui, falida, trabalhando de babá para um ricaço, sem namorado e sem dignidade__ bufei__ não quero que ele me veja assim. Eu devia estar linda e maravilhosa quando ele me encontrasse, para eu esfregar na cara dele como estou melhor do que nunca depois que ele se foi.
__Não é o que está parecendo agora__ ele comentou__ você está linda Demi, não precisa se esconder.
__Oh, você não sabe de nada__ me levantei um pouquinho para espiar por cima do carro.
Alex estava lá sorrindo, conversando com um homem que eu não conhecia e ele parecia tão feliz, aquilo me deu raiva. Será que ele não sentira nenhum pouco minha falta? Não se arrependeu nem por um minuto de ter me deixado?
__Demi, o que está fazendo?
Tomei um susto e me abaixei de novo quando Manuela apareceu do meu lado.
__Nada, não estou fazendo nada__ respirei fundo para acalmar o coração__ acho que já podemos ir embora né?
Levantei-me apressada, ajeitando a roupa que amassara um pouco e abri a porta do carro para que Manuela entrasse.
__Demi?
Meu coração parou de bater quando ouvi meu nome ser chamado, reconheci a voz de imediato e me odiei por isso, depois de quase dois anos não deveria soar tão familiar para mim. Praguejei baixo, fazendo careta e quando me virei lá estava ele, vindo em minha direção, com toda sua beleza e tranquilidade.
__Demi, é você mesma?__ ele perguntou quando parou a minha frente.
__Acho que sim__ dei um sorriso amarelo.
__Meu Deus, quanto tempo.
__Jura? Nem percebi__ dei de ombros como quem não se importa.
__Não esperava te encontrar assim, ainda mais aqui.
__Eu esperava não te ver nunca mais, mas parece que nem sempre conseguimos o que queremos não é mesmo?
__Você ainda está zangada comigo__ ele comentou.
__Imagina__ eu dei uma risada falsa__ não me importo o bastante para sentir raiva.
Como era mentira, como eu queria socá-lo naquele momento... Ou me jogar nos braços dele, não tinha certeza. Eu me odeio.
__Eu... Eu pensei em te procurar nesse tempo__ Alex disse me fitando profundamente, desviei os olhos dos dele para aquietar minha pulsação, minha cabeça ia explodir__ eu queria pedir desculpas por ter te abandonado daquele jeito, por não ter te dado nenhuma satisfação, não foi certo... Depois de tudo que passamos juntos.
__Me poupe das suas desculpas Alex.
__É sério Demi, eu...
__Você o que? Está arrependido? Não queria ter feito aquilo?__ cruzei os braços e bati o pé no chão irritada.
__Não, eu não me arrependo do que fiz__ ai, essa doeu__ acho que foi a decisão certa não nos casarmos, eu não estava pronto pra isso, não daria certo, o que me arrependo é do modo como fiz as coisas, não queria te magoar sabe? Você é minha amiga e...
__Era... Era sua amiga__ o corrigi e segurei a mão de Manuela que estava do meu lado__ e você tem razão sabe? Foi o melhor, eu estou muito melhor sem você, comecei de novo e estou muito feliz.
__É bom saber__ ele sorriu e fitou Manuela__ sua filha?
__Nos separamos a menos de dois anos, como posso ter um filha de cinco?__ resmunguei irritada.
__Oh, certo__ ele pareceu envergonhado__ então ainda trabalha como babá? Você não mudou muito.
Aquilo aumentou a minha ira, já me decidi, eu não queria agarrá-lo... Socá-lo, definitivamente socá-lo até sangrar. Não queria que ele pensasse que enquanto ele crescera na vida, eu fiquei pelos cantos chorando por causa dele e continuei a mesma pobre garota de sempre. Era verdade, mas ele não precisava saber.
__Não, eu não sou babá dela__ neguei irritada.
__Quem é ela então?
__É... Hum... Filha do meu namorado__ disse antes que pudesse conter a língua__ estou namorando agora sabe? Manuela é filha dele, e esse aqui é Arthur, nosso motorista... Meu namorado é rico.
__Oh, que legal__ ele sorriu__ eu também estou namorando, ela é incrível. E estou atrás de um emprego aqui na cidade, eu fiz uma boa grana nesses últimos tempos e agora vou me estabilizar por aqui, sabe... Vida nova.
__Que bom pra você__ por fora eu sorria, por dentro fervia de raiva__ olha, por mais que eu esteja interessada em saber mais da sua vida__ disse debochada e descaradamente__ meu namorado está me esperando, vamos almoçar juntos, então... Tchau Alex.
__Espero que nos vejamos de novo por ai.
__Eu espero que não.
E entrei no carro, batendo a porta na cara dele. Meu Deus, como ele era cara de pau. Depois de tudo que ele fez, depois de tanto tempo ainda tinha coragem de vir falar comigo e dizer: “espero que nos vejamos de novo por ai”. Espero que ele seja atropelado por um caminhão, isso sim.
__O que foi aquilo Demi?__ Arthur perguntou.
__Não me julgue, eu me desesperei__ fiz careta__ ele não precisa saber que eu menti, ninguém precisa saber de nada, se eu tiver um pouco de sorte nunca mais verei aquele canalha na minha vida.
Foi quando me lembrei que nunca tive muita sorte na minha vida.
__Você ainda o ama?
__Parece que eu o amo?__ desafiei irritada.
__Parece__ ele respondeu sinceramente.
__Mas não o amo__ quase gritei, mas aí lembrei que Manuela estava logo atrás no carro e controlei a língua.
__Tudo bem, se você está dizendo que não o ama eu acredito.
Mas eu sabia que ele só disse aquilo para não me irritar. Eu o amava, ou achava que amava, mas isso fora quase dois anos atrás antes de ele quebrar meu coração e me deixar sozinha para tentar juntar os pedaços. Até agora não conseguira juntar todos. Só não queria ter deixado que o abandono dele afetasse tanto a minha vida, queria ter sido mais forte, queria não ter ficado com tantas marcas, pois ele estava muito bem, e toda dor quem sentiu fui eu... Mas agora era tarde demais.
__Você está bem?__ Arthur perguntou.
__Estou, só... Nos leve pra casa.
Fim do Capítulo