sexta-feira, 29 de junho de 2012

Capitulo 14 (Maratona)


Tudo Ficou para Trás.

Reino de Murdor

Demetria estava agora sentada em seu quarto, olhando pela janela como gostava de fazer, imaginando que estava em casa. Vitória estava com ela, seu mal estar tinha passado e elas vieram a descobrir que o motivo era que Vitória estava grávida. Primeiro houve desespero, ela nem mesmo sabia quem era o pai da criança, mas acabou por se alegrar com a ideia, provavelmente era o mais próximo de uma família que ela conseguiria ter e esse pensamento deixava Demetria entristecida.
__Estão dizendo por ai que seu pai armou uma armadilha para Klaus e seus homens__ Vitória comentou, despertando o interessante de Demetria que desviou os olhos da janela para fitá-la.
__Como disse?
__Parece que Klaus saiu da cidade com o comandante e seus homens porque capturaram um dos homens de seu pai e acharam que podiam arrancar informações dele__ ela explicou__ mas parece que era tudo uma armadilha e houve uma explosão estranha com fogo vermelho, e muitos dos soldados morreram. O comandante por pouco também não morreu, ele teve sorte.

Demetria se lembrou de como Joseph aparecera na outra noite, todo sujo e machucado. Aquilo também explicava porque ele não quis lhe contar o que aconteceu. Mas ela não conseguia entender o que o pai estava tramando, ele atacava uma cidade pequena, para matar alguns homens de Klaus aleatoriamente ao invés de invadir Murdor e salvá-la.
__E o Rei Klaus?
__Ah, ele não estava junto, mas parece que resolveu ficar na cidade por algum tempo.
__Para minha sorte__ Demetria suspirou__ como sabe dessas coisas?
__As noticias correm__ ela deu de ombros.
Demetria voltou a olhar pela janela, suspirando. Ainda não tinha se acostumado com o quanto às coisas estavam diferentes.
__Em que está pensando?__ Vitória perguntou__ no seu príncipe?
__Eu não tenho um príncipe__ ela murmurou distraída.
__Como assim não tem?
__Para se ter um príncipe precisa ser uma princesa, eu não sou mais uma princesa, meu pai não é mais um Rei, eu não tenho mais casa, nem família... Tudo isso ficou para trás e estou sozinha.
__Não é verdade, eles virão te salvar e...
__Não sei se quero que venham me salvar.
__Porque não?__ Vitória estava confusa.
__Porque se vierem vão morrer e não quero que mais ninguém morra por minha causa. Prefiro ficar aqui para sempre.

Emboscada

__Não consegue dormir?
Joseph ergueu os olhos e viu Paola o observando.
__Na verdade não__ ele confessou.
Tinha acordado no meio da noite, completamente inquieto e não conseguiu mais dormir. Depois de revirar na cama por vários minutos resolveu arrumar uma tarefa para se ocupar e saira de casa, caminhara um pouco pelas ruas e terminara nas forjas da cidade, trabalhando em uma nova espada. Aquela era uma noite fria, mas devido ao calor intenso nas forjas, estava sem camisa, suado e descabelado.
__Você parece cansado__ ela comentou.
__Eu me sinto cansado, mas de nada adiantou, não consigo dormir.
__O que o está preocupando?
__Preciso mesmo lhe dizer?__ revirou os olhos__ a guerra está batendo em nossa porta.
__Desde quando tem medo da guerra? Voltou vencedor da ultima não lembra?
__Não estou com medo, mas dessa vez é diferente, tenho o pressentimento de que não vai acabar bem. Pra nenhum dos lados__ ele largou a espada, tirou as luvas e a fitou seriamente__ Klaus está nervoso, metendo os pés pelas mãos, eu mesmo quase morri no outro dia por uma emboscada de Robert e não vai demorar para ele invadir essa cidade. Vai acontecer como da outra vez, ele vai acabar matando todo mundo para tentar parar Klaus e não vai acabar bem.
__Sabe que o único jeito de evitar uma guerra é devolvendo a princesa né?
__E você sabe que isso não vai acontecer.
__Eu sei__ ela concordou__ eu sei.
Os dois ficaram em silencio um tempo, quando Joseph viu alguém se aproximando.
__Princesa?__ ele ergueu a sobrancelha__ o que faz aqui?
__Eu não conseguia dormir, resolvi andar__ ela respondeu__ parece que não fui à única.
__Não é uma boa noite__ Paola comentou.
Demetria já ia responder o comentário quando viu a expressão do comandante mudar, ficando alerta. Segundos depois ouviu passos e eles estavam cercados por um grupo de oito soldados. Joseph pegou sua espada e se pos na frente das duas mulheres, analisando os homens com toda atenção, pronto para qualquer coisa que resolvessem aprontar.
__Estão com algum problema?__ Joseph perguntou apertando o cabo da espada.
__Temos um assunto para resolver comandante__ um dos homens, um gorducho careca falou.
__Que assunto querem resolver a essa hora da noite?
__Você quebrou a perna do meu filho ontem__ o gorducho disse__ e matou o filho do meu amigo aqui.
__Eles fizeram por merecer__ deu de ombros despreocupado.
__Escute Joseph__ o homem murmurou, o chamando pelo primeiro nome, coisa que nunca fazia__ estamos cansados de você, desse seu reino de terror aqui em Murdor e resolvemos acabar com isso.
__Verdade?__ ele sorriu__ e como pretendem fazer isso?
__Matando você e depois pegando a princesa para nos divertirmos um pouco__ ele respondeu divertido__ você e o Rei não são os únicos que tem o direito de se divertir? Ou pensa que não sabemos que você tem anda tirando uma casquinha dela?
__O que pensam que eu sou em? Alguma prostituta?__ Demetria exclamou irritada__ todos vocês merecem queimar no inferno.
__Calma princesa__ Joseph avisou__ eu cuido disso. Vão embora vocês duas.
__Elas ficam, serão o nosso premio.
__Tudo bem então, se acham prudente me enfrentar__ Joseph deu de ombros e ergueu a espada__ quem vencer leva as moças.
__Feito.
Os dois primeiros homens avançaram em Joseph. Paola e Demetria se afastaram assustadas e assistiram enquanto com habilidade ele derrubava os dois homens, o primeiro com um corte na garganta, o segundo com a espada enterrada no peito. Mais dois avançaram em seguida, Joseph cortou a perna dele, que caiu no chão agonizando e cortou fora a cabeça do segundo, espirrando sangue para todos os lados.
__Ok, só faltam quatro... Quem quer ser o próximo?__ ele perguntou com a lâmina ensanguentada brilhando a luz da lua.
__Você não vai passar desta noite comandante.
Mais três homens avançaram sobre ele, e com a mesma rapidez derrubou os dois primeiros, mas antes que acertasse o terceiro, o velhote que liderava a emboscada avançou na direção de Demetria e Paola com uma faca. Joseph socou o rosto do primeiro homem e se pos na frente quando o velho ia enterrar a faca em Demetria, a lâmina afiada adentrou a carne, atravessando o ombro e Joseph conteve o grito de dor enquanto enterrava a espada nas costas do homem.
Só mais um ficou de pé. Demetria e Paola observaram horrorizadas enquanto ele lutava com o ultimo soldado ainda com a faca enterrada no ombro, e o sangue escorrendo pelo peito nu. Sem perder tempo, Paola pegou o caldeirão sob o fogo, protegendo as mãos com o pano do vestido e derrubou o ferro derretido lá dentro sobre a cabeça do homem quando ele estava distraído. O som que ele fez quando o metal lhe cobriu a cabeça era de cortar o coração, mas ele merecera aquilo, Demetria tentou não olhar. Logo os oito soldados estavam todos mortos no chão.
__Oh Meu Deus, você está bem?__ Demetria correu até Joseph, o fitando de olhos arregalados.
__Eu tenho uma faca enfiada no meu ombro, o que você acha?__ ele respondeu grosseiramente.
__Precisamos de um médico agora__ Paola disse__ eu vou chamar o Mrs. Galvin.
__Eu vou levá-lo para casa__ Demetria disse e Joseph apoiou o braço bom no ombro dela__ vá depressa, ele está perdendo sangue.
Paola saiu correndo para buscar o médico e enquanto isso Demetria ajudou Joseph a ir pra casa. Chegando lá ele largou a espada e sentou-se na cama, a expressão de seu rosto se contorcendo em agonia. Demetria só conseguia fitá-lo com aflição.
__Aguenta firme, o médico já vem__ ela tentou acalmá-lo, mas ela era a única nervosa ali.
__Não é a primeira vez que isso me acontece princesa, não há porque se preocupar, não vai ser assim que eu vou morrer__ ele resmungou fazendo careta__ por favor, tire essa coisa do meu ombro.
__Eu não vou tocar nisso__ ela negou nervosamente com a cabeça.
__Ok, eu faço então.
Ele estendeu a mão para segurar o cabo da faca e puxar, mas Demetria o impediu.
__Você está maluco? Não faça isso, vai acabar se machucando mais__ ela protestou__ espere o Mrs. Galvin.
__Tudo bem, tudo bem__ ele gemeu irritado__ fique de olho na porta, não duvido nada que vai aparecer mais alguém aqui para tentar me matar.
Demetria ficou de vigia na porta até Paola aparecer com o médico. Ele examinou com calma a ferida no ombro de Joseph, que já estava totalmente impaciente, suado e mal humorado, como nunca antes.
__Tira logo essa droga do meu ombro__ ele gritou nervoso.
__Fique calmo__ Mrs. Galvin pediu__ isso vai doer.
__Acabe logo com isso__ ordenou.
__Paola, me ajude aqui, segure ele__ o médico pediu.
Demetria não conseguiu olhar enquanto Paola segurava Joseph e Mrs. Galvin puxava a faca do ombro dele. Ela estremeceu com o grito de dor que ele deu, pensando que aquela faca devia estar enterrada no peito dela e não nele. Muitos problemas seriam resolvidos e confrontos poupados se ela estivesse morta, ela só servia para causar problemas, era tudo que conseguia pensar.
__Está perdendo muito sangue__ Galvin disse__ preciso costurar o ferimento, vou precisar de ajuda.
__É só me dizer o que tenho fazer.
Demetria ficou de vigia na porta durante todo o tempo enquanto o médico cuidava de Joseph, para ter certeza que não seriam pegos de surpresa. De vez em quando ela olhava pra ele e o via gemer de dor enquanto o médico o costurava e tinha vontade de gritar. No meio do procedimento Joseph acabou desmaiando por conta da dor, mas Mrs. Galvin garantiu que ele ficaria bem.
__É um homem forte, não é a primeira vez que o costuro por algum ferimento__ Mrs. Galvin sorriu limpando as mãos cobertas de sangue__ ele só precisa descansar e é bom que fiquem de olho nele, os homens de Klaus não estão contentes e se souberem do estado dele vão tentar matá-lo enquanto dorme. E vão querer pegá-la também princesa.
__Não podemos defendê-lo se alguém resolver atacar__ Demetria disse nervosa.
__Eu dou um jeito nisso__ Paola prometeu__ fique aqui com ele e o Mrs. Galvin, eu volto logo.
__Paola...
__É só um instante Demi, eu prometo que volto logo.
E saiu da casa, deixando-os sozinhos.
Demetria sentou-se na cama, ao lado de Joseph que permanecia desacordado e imaginou se haveria algum jeito de a situação deles piorar. Agora que Klaus não estava em Murdor tudo tinha virado caos, Joseph era perfeitamente capaz de se defender, até mesmo doente, mas para isso precisava estar acordado e ela não sabia quando ele ia se recuperar totalmente.
E era tudo sua culpa.
Fim do Capítulo 

10 comentários:

  1. Ownnnt .. Ele levou a facada para proteger ela ... Que lindoooooo ... Esse é o Joseph que eu gosto ! Kkk

    esperando o proximo capitulo ! Ahhh

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KK Q todas nós gostamos ... Postei ... Bjos

      Excluir
  2. Como vc é capaz de parar numa hora destas..... Cada capítulo que passa fico mais viciada na historia....
    posta logo.......

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Culpe a Cacau por ela fazer isso ... Eu sei essa WEB é viciante KK ... Postei ! Beijos

      Excluir
  3. Ai meu Deus!! Que tenso!!
    "Cada capítulo que passa fico mais viciada na historia..." é tipo eu!!!
    Posta logo!! *O*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. *O* ... Vcs ñ viram nada ainda ... Postei ... XOXO

      Excluir
  4. Estou amando esta fic.
    E obrigada pela maratona =)

    ResponderExcluir