sexta-feira, 13 de abril de 2012

Chapter Sixteen


Demi tinha conseguido aquilo que tanto queria, estava ali com Joseph e ele estava disposto a lhe ensinar tudo que ela queria e precisava saber, mas quando ele pronunciou aquelas palavras, quando mencionou a guerra e o perigo que ela corria simplesmente se acovardou, ficou nervosa pensando que talvez não conseguisse fazer aquilo e Joseph percebeu.
__Qual o problema Demi?
__É só que... Eu não sei se consigo fazer isso__ ela confessou envergonhada__ eu vi nas suas lembranças como era o treinamento e até parecia ser fácil, mas você aprendeu como usar seus poderes desde criança, eu... Eu não sei como fazer isso.
__Não se preocupe com isso Demi__ ele sorriu docemente, lhe passando confiança__ é parte de você, é como respirar, você só precisa de um pouco de prática, eu estou aqui pra ajudar. Poder e vontade você tem de sobra, o resto é bem mais simples.
__Ok__ ela tentou parecer confiante__ vamos começar então.
__Tudo bem, a primeira coisa a saber é que nossos poderes são baseados em cinco elementos__ ele explicou__ os mais simples, terra, ar, fogo e água. Alguns dos feitiços você só precisa dizer a palavra certa, outros você mesma pode criar dependendo do que quer fazer, em alguns casos é bom ter conhecimento de latim.
__Eu não sou boa nisso__ ela fez careta__ qual o quinto elemento?
__Sangue__ ele respondeu, Demi não soube dizer por que mas aquilo soou um tanto sombrio e ela teve arrepios__ são feitiços de morte, os mais complicados e perigosos de se fazer. Você pode matar uma pessoa sem tocar nela, nem precisa estar perto.
__É um feitiço de sangue que Robert está procurando?__ ela supôs.
__Esqueça isso Demi, eu cuido de Robert, só mantenha o foco.
__Tudo bem, me desculpe__ mas era óbvio que ela não ia esquecer.
__Vamos começar com ar__ ele sugeriu__ levitação é bem simples e fácil de aprender.
__Eu andei praticando isso no meu quarto, realmente não é muito difícil.
__Seus poderes estão conectados aos seus sentimentos, e como o nome já diz... Levitação, é preciso leveza, tranquilidade e paz pra fazê-lo, tem que se concentrar em coisas boas__ sua voz foi se tornando mais branda e ele se aproximou de Demi__ feche os olhos por um momento e esqueça todos os problemas, todas as coisas que te afligem, empurre tudo pra um canto escuro pra resolver uma outra hora. Imagine-se em um lugar feliz, sinta a brisa, sinta-se relaxando.
Conforme ele sussurrava Demi realmente ia se sentindo mais leve, em paz. A voz dele era como um tranquilizante e mesmo sem querer os medos que há afligiam alguns instantes atrás foram sumindo, até mesmo seu coração se aquietou e ela teve vontade de sorrir enquanto sentia o vento em seus cabelos.
__Como se sente Demi?__ Joseph perguntou ainda baixinho, sua voz estava próxima demais.
__Em paz__ ela respondeu ainda de olhos fechados__ isso é bom.
__Agora abra os olhos Demi__ ele pediu.
Ele estava parado a sua frente, em outra ocasião Demi teria perdido o controle sobre suas reações, mas se sentia tão tranquila naquele momento que nem mesmo aquela proximidade com Joseph conseguiu perturbá-la. Ele sorriu enquanto tirava um cordão do pescoço, que até então Demi não havia reparado que ele usava. Era uma corrente de prata, simples e na ponta havia uma pequena pedra preciosa, verde... Uma Esmeralda. Demi se lembrou vagamente de ter visto a lembrança em que Esmeralda dera aquilo pra ele.
Joseph segurou o cordão com a ponta dos dedos e estendeu na frente do rosto dela.
__Agora, deixe que sua energia flua de você em direção ao cordão, transmita a paz que está sentindo, a leveza até que ele flutue.
Demi já havia feito aquilo e naquele lugar parecia ser ainda mais simples, ela podia sentir o poder pulsando dentro dela, correndo por sobre sua pele, se intensificando a cada segundo que ela ficava ali. Quando chegara se sentira tomada por uma nuvem escura que fizera aumentar seu desespero, mas depois de ouvir Joseph falando aquilo sumira, ele parecia saber controlar bem os sentimentos ruins que havia dentro dela. Assim fixou seus olhos no cordão como fizera no outro dia no quarto com as folhas de papel, imaginou a corrente flutuando leve como o vento e sorriu quando viu Joseph soltar gentilmente a corrente e ela permanecer no ar.
__Eu consegui?__ ela disse animada.
__Conseguiu, mas isso é fácil de fazer__ ele disse__ vai ficando mais difícil Demi, tem coisas maiores e mais pesadas e algumas vezes você pode ter que levitar mais de uma coisa por vez. Fora que em certas situações fica difícil encontrar a paz interior, teremos que praticar muito ainda.
A ideia não incomodava nenhum pouco, muito pelo contrário. Quanto mais tempo ao lado dele melhor.
Joseph pegou o cordão com todo cuidado e o pos de volta no pescoço. Demi não sabe quanto tempo se passou exatamente, mas nas horas seguintes eles continuaram a praticar a levitação, ele a fez levantar coisas mais pesadas e maiores e atirasse-as longe. E mandou que fizesse isso enquanto a perturbava, dizendo coisas sobre as quais era difícil manter a calma, e ele sabia exatamente o que dizer pra tirá-la do sério, foi difícil no começo, mais quanto mais ela tentava mais simples parecia embora fosse cansativo.
Demi só perdeu o rumo quando Joseph tocou no nome da sua mãe, ela sentiu a tranquilidade daquele dia incrível desaparecer e a mágoa voltar com toda força. A pedra que ela erguia no ar despencou no chão com força fazendo um barulho extremamente alto e espalhando areia por todos os lados.
__Por favor, não fale da minha mãe__ ela pediu educadamente o olhando de forma séria.
__Não tenho tempo pra ser gentil Demi, você aceitou fazer do meu jeito.
__Tudo bem, mas não precisa falar dela, eu não quero ouvir falar dela__ disse nervosa.
__Seus inimigos conhecem seu ponto fraco Demi, Robert conversou durante semanas com você e conhece sua vida, suas fraquezas e ele vai usá-las contra você quando encontrá-la. Ele não vai ser educado como eu, ele vai te magoar e vai te confundir dizendo coisas horríveis e se você não aprender a ignorar vai se tornar vulnerável e um alvo fácil. Mesmo que o que ele diz seja verdade, você precisa ouvir e ignorar, não pode absorver.
__É difícil ta legal?__ ela suspirou.
__Eu sei__ ele concordou__ você viu minhas memórias. Chegou a ver sobre os meus treinamentos com o meu pai?
__Só alguns__ deu de ombros.
__Ele fazia isso comigo frequentemente, sabia o que dizer pra me irritar e arrancar de mim o que queria, no começo eu perdia o controle completamente, mas depois aprendi como usar essa raiva a meu favor__ ele explicou__ quando descobriu sobre mim e Esmeralda, quando ele viu a intensidade do que acontecia entre nós dois ele passou a usar isso pra me atingir.
__O que ele fazia?__ Demi não se lembrava de tê-lo visto mencionar o nome de Esmeralda nos treinamentos que presenciou.
__Ele me dizia coisas horríveis a respeito dela__ murmurou, seu olhar ficou frio como gelo__ sabe que nós bruxos podemos viver eternamente não sabe Demi?__ ninguém havia lhe contado isso, mas ela chegara a essa conclusão sozinha, não era difícil__ a morte não é uma coisa que precisa acontecer pra nós, usamos nossa energia pra viver quanto tempo quisermos, pra sempre. Mas pros humanos não é assim... Meu pai sorria pra mim enquanto me dizia que mais cedo ou mais tarde Esmeralda morreria e eu ficaria sozinho. Eu tentava argumentar com ele dizendo que poderia fazê-la viver pra sempre também, e ele respondia que isso era impossível pois eu era extremamente proibido de contar a verdade sobre mim pra ela, e se o fizesse nós dois seriamos mortos. Isso me fazia tremer dos pés à cabeça, então eu dizia que não me importava em morrer junto com ela... Mas é claro que era mentira, ninguém quer morrer não é mesmo? Ainda mais quando se tem a escolha de viver pra sempre.
__Isso é cruel.
__Em alguns momentos eu desconfiei que ele sabia que eu tinha contado tudo a Esmeralda, pois ele sempre falava pra mim das punições que isso acarretaria, mas também acho que ele me amava demais pra me punir por isso__ comentou distraído mas logo recuperou o foco__ o ponto Demi, é que pra praticar magia perfeitamente, sem erros, você tem que aprender a ignorar as coisas que te magoam, tem que ouvir e fingir que não se importa. Não pode nunca perder o foco e deixar que seus sentimentos dominem você, você tem que dominar seus sentimentos está me entendendo?
__É fácil falar.
__Você aprende com a prática, mas não pode se irritar comigo, estou tentando te ensinar, e você só vai aprender desse jeito. E você precisa aprender Demi, quando Robert aparecer você tem que saber se defender sozinha. Nem sempre vai ter alguém por perto pra te salvar, fique ciente disso.
Ela entendeu o que ele quis dizer, que quando ela precisasse, ele poderia não estar lá, ela ia estar sozinha.
__Tudo bem, vamos tentar de novo.
__Só mais um pouco, temos de voltar pra fazenda, suas tias devem estar preocupadas.
__Claro, tia Olívia deve estar doida pra me castigar de novo__ revirou os olhos.
Eles tentaram mais um pouco, fazer as coisas levitarem não era o problema, Joseph tinha razão, era parte dela, como respirar, o problema era controlar a raiva e aquela sensação sufocante que ia tomando conta aos poucos. Joseph a observou com toda atenção e quando percebeu que as coisas iam sair do controle decidiu parar, já tinha exigido demais dela por um dia e tinha de lembrar que eles eram diferentes, Demi era como uma bomba relógio embora não soubesse disso.
__Vamos parar por hoje__ ele informou__ você precisa descansar.
__Quando vamos praticar de novo?
__Não sei, mas vou dar um jeito de fazermos isso sem que você seja punida, não se preocupe... Agora vamos pra casa.
Um bom descanso era tudo que Demi precisava naquele momento, um banho quente e uma noite de sono.
Ao chegar à fazenda, Demi deixou Joseph conversando com as tias e foi tomar um longo banho quente pra se livrar daquela sensação ruim por todo seu corpo, perdeu a conta de quanto temo ficou embaixo do chuveiro, mas foi mais de meia hora concerteza. Quando terminou vestiu seu pijama cor de rosa e estava pronta pra dormir a noite toda quando se lembrou de uma coisa. Tinha que devolver o diário de Joseph, estaria mais seguro nas mãos dele de qualquer forma, tinha sorte por ele não ter ficado com raiva.
Pegou o diário de seu esconderijo e foi até o quarto dele, a porta estava entreaberta e ela deu uma batida antes de entrar, parecia estar vazio e ele não respondeu quando ela chamou, mas Demi ouviu o barulho do chuveiro, ele devia estar tomando banho. Ela se sentou na beirada da cama pra esperar, passando os dedos delicadamente pela capa do diário.
__Demi?__ ela ergueu os olhos um pouco assustada quando ouviu Joseph chamar seu nome, por um momento esquecera que estava no quarto dele, tinha se distraído completamente. Ficou um pouco sem graça ao olhá-lo, usando somente uma calça jeans, o cabelo molhado e bagunçado, a camiseta estava na mão, deixando o peitoral a mostra... Aqueles quatrocentos anos em um diário não tinham conseguido acabar com sua beleza e boa forma.
__Hum, desculpe entrar assim__ ela levantou__ eu chamei mas você não ouviu então resolvi esperar. Vim devolver seu diário.
Ele o pegou e sorriu, olhando pro diário como se fosse um amigo que não via há muitos anos.
__Desculpe ter mentido e demorado tanto pra devolver__ Demi sussurrou.
__Tudo bem.
__Ela era mesmo incrível__ Demi comentou e não precisou de muitas explicações pra que Joseph entendesse que ela falava de Esmeralda__ vocês eram perfeitos, é uma pena o que aconteceu, que não possam ficar juntos.
Era uma pena, pois dava pra ver nos olhos dele como sentia falta dela e como eles brilhavam ao pronunciar seu nome. Demi esperava encontrar alguém que a amasse dessa forma um dia, era uma que esse alguém não era Joseph, mas ela não via um jeito de ele amar alguém como amava Esmeralda.
__Boa noite__ ela disse lhe dando as costas.
__Espere um minuto__ ele pediu e Demi se virou novamente pra ele__ você disse que ganhou o diário de presente mas nunca me contou quem foi que lhe deu ele.
__Ah__ ela realmente tinha esquecido de mencionar isso__ foi sua irmã Nicole.
__Nicole?__ a surpresa estava estampada em seus olhos__ ela está viva?
__Está sim, não sei por que exatamente ela me deu esse diário, afinal ela é da família Original, poderia libertar vocês sozinha se quisesse__ comentou confusa__ mas foi ela que me deu, tenho certeza que sim. Eu já esbarrei algumas vezes com ela depois disso, mas ela não conversa comigo, fica fugindo de mim.
__Porque não me contou isso antes?
__Eu esqueci__ ela fez careta__ desculpe.
__Tudo bem__ ele suspirou__ é só mais um problema pra eu resolver.
Joseph não esperava que sua irmã ainda estivesse viva, até onde sabia depois do que aconteceu entre ele e Robert a maior parte dos bruxos do mundo desapareceu, muitos foram mortos, inclusive sua família. Como Nicole teria sobrevivido e o que estava tramando era a grande pergunta, será que ela estava envolvida com Robert? Era mais uma questão pra atormentá-lo à noite.
__Boa noite__ Demi sussurrou e saiu do quarto.
__Boa noite Demi__ Joseph respondeu, mas ela já havia saído.
Aquela noite o pesadelo de Demi foi diferente de qualquer outro que já teve.
Estava escuro, já era noite e Demi se achava parada no meio da rua, no que parecia uma cidade fantasma, completamente em ruínas, havia prédios destruídos, carros capotados, batidos, e um silencio incomodo. O chão estava quebrado em várias partes e flutuava, abaixo havia um grande abismo, um vazio escuro e mortal, sombrio. O engraçado era que Demi não sentiu medo enquanto observava todo aquele cenário, a escuridão, ela se sentiu confortável, como se estivesse em casa... O escuro era acolhedor.
__Você gosta da sensação Demi?__ ela se virou e deu cara com Robert, ele estava há alguns passos de distancia, lhe sorrindo, os olhos azuis cintilando na escuridão.
__Que lugar é esse?__ ela perguntou.
__Eu o criei, como um paraíso particular__ ele respondeu__ a escuridão e a destruição me fazem sentir bem, não é o mesmo com você Demi? Não se sente bem aqui?
Ela não gostava de ter algo em comum com aquele psicopata, mas era verdade, ela se sentia bem ali.
__Esse lugar está repleto de magia negra__ explicou abrindo a mão, algo como uma bola de energia surgiu em sua palma, uma energia negra brilhante com alguns raios em roxo, era estranho e ao mesmo tempo belo__ é por isso que se sente tão bem.
Demi se perdeu olhando pra bola brilhante, queria chegar mais perto e tocá-la, sentia algo intenso crescendo dentro de seu peito.
__O que você quer?__ ela sacudiu a cabeça pra espantar a sensação.
__Eu vou achar você__ ele sussurrou fechando a mão, a bola se dissolveu no ar__ e seu poder vai ser meu.
__Nunca vai conseguir me pegar__ ela o desafiou__ eu vou mandá-lo de volta pro lugar de onde nunca deveria ter saído.
__Você vai me ajudar Demi, sei que você quer__ ele sorriu__ não pode fugir de mim... Não pode fugir da escuridão, ela está dentro de você e vai te consumir, apenas aproveite... Você vai adorar.
Ele começou a se aproximar dela e quanto mais perto chegava mais pra trás ela caminhava. Na verdade sentia-se atraída por ele, alguma coisa a fazia querer correr até ele, mas ela sabia que era errado e por isso continuou a se afastar. Infelizmente não viu que o chão tinha terminado e escorregou, despencando no abismo sem da escuridão.
Um grito aterrorizante escapou por sua garganta e quando deu por si estava sentada em sua cama, os olhos arregalados, o coração disparado, o corpo suado tremendo dos pés a cabeça, ela se esticou apressada e ascendeu a luz, abraçando o próprio corpo e respirou fundo, pedindo silenciosamente pra que aquilo passasse. Aquele desejo estranho, aquela escuridão dentro dela.
__Demi, o que aconteceu?__ suas tias entraram correndo dentro do quarto junto com Joseph__ porque estava gritando?
Ela não conseguiu responder, não conseguia nem mesmo piscar, sua expressão de pavor era aterrorizante.
__Foi outro pesadelo?__ Sarah perguntou.
Os olhos dela se fixaram no rosto preocupado de Joseph e sem que ela precisasse dizer nada ele entendeu o que estava errado. Já tinha visto aquele medo antes, aquela expressão, aquele brilho estranho nos olhos dela... Joseph precisava encontrar Robert e pará-lo o mais rápido possível, antes que ele fizesse algo que não poderia ser revertido.
__Posso conversar com há Demi um minuto?__ Joseph pediu.
Olívia ia discordar, mas Sarah a arrastou pra fora do quarto à força, deixando os dois a sós.
__Teve um pesadelo com ele?
Ela assentiu vagamente, querendo perguntar como ele sabia, mas sem conseguir abrir a boca pra dizer.
__Sabe que ele não pode te machucar né? Foi só um pesadelo, está segura Demi.
__Era real__ ela sussurrou__ a sensação é real.
__Ele não vai tocar em você, eu te prometo... Ele não pode machucar você. Você acredita em mim?
Ao invés de responder ela olhou no fundo dos olhos de Joseph__ tem algo errado comigo.
__Como assim?
__Dentro de mim, tem algo errado__ ela disse se abraçando com mais força__ desde aquele dia que surtei, tem alguma coisa errada dentro de mim, algo ruim... Faça isso parar.
Demi não era boba, ela não sabia o que era, mas sentia que havia algo errado, e não era nada bom.
__Eu vou te ajudar Demi__ Joseph prometeu__ só precisa ficar calma. Não deixe que o medo tome conta de você. Está segura comigo está bem? Eu vou cuidar de você e dar um jeito em Robert, você acredita em mim?
Ela concordou, não via motivos pra duvidar, não queria parecer uma criancinha assustada, mas aquele pesadelo lhe enchera de pavor, e a escuridão dentro dela mais ainda.
__Eu te devo isso, você me salvou e eu vou salvar você.
E não havia motivos pra duvidar daquelas palavras.
Fim do Capítulo

8 comentários:

  1. Respostas
    1. Ai devo confessar q tbm AMEI é a Cacau manda mto Bem nas suas fics ! POOSTEI ...

      Excluir
  2. But mama I'm in love with this story (8) Hahaha ~tentativa fail de dizer que estou amando essa história, usando a música Criminal~ Hahahah Posta logo ;D

    ResponderExcluir
  3. oi flor, eu consertei o erro lá na tag! obg por avisar!

    ResponderExcluir