quarta-feira, 4 de julho de 2012

Capitulo 19 e Capitulo 20 e Capitulo 21


Rápido Demais.

Reino de Murdor

Joseph fizera como ordenado e juntara seus cinquenta melhores homens e seguira com eles para a sala do Trono. Estava curioso sobre o conteúdo daquele carta que mudara tão rapidamente o humor do Rei e essa missão em que seriam enviados.
__Você e seus homens seguirão para Severac ainda hoje__ Klaus dissera.
__O que devemos fazer lá Alteza?
__Temos novidades que vão nos ajudar muito nesta guerra__ Klaus sorriu, nem parecia o mesmo homem que gritava coisas obscenas naquela mesma manhã__ não darei detalhes agora, por pura precaução. Mas o meu homem de confiança, Hugo, que controla tudo naquela cidade, irá lhes explicar o que está acontecendo e a tarefa de vocês.
__Alteza...
__Não discuta Joseph, sei que está curioso, mas faça o que eu digo__ Klaus o interrompeu__ quero que se preparem e marchem para Severac antes do cair da noite. E me mantenha informado sobre tudo que acontecer. Vamos ganhar essa maldita guerra meus caros e juro que ainda vou pendurar a cabeça daquele gorducho do Robert no muro do meu Reino.

Ele não quis dizer nada e Joseph não estava com paciência alguma para discutir. Mandou que os homens preparassem tudo que precisariam para partir e foi se aprontar. Vestiu sua roupa de batalha, que diferente das dos outros homens era completamente negra, colocou a espada na bainha, esperando sinceramente que não estivesse indo praquela cidade para lutar, pôs o capuz e foi em direção ao La Luna resolver um assunto antes de sair da cidade.
__Quanto tempo ficará fora?__ Paola perguntou.
__Não faço ideia, nem ao menos sei o que estou indo fazer naquela cidade, Klaus está mantendo sigilo.
__Tenha cuidado Joseph, não confio em Klaus, ele anda instável ultimamente e você não está cem por cento.
__Não tem que se preocupar comigo Paola, eu sei me cuidar, me preocupo com você sem mim por perto, viu o que aconteceu da ultima vez que parti__ ele a lembrou__ tenho receio de largá-los aqui, você, Peter e... A princesa também.
__Não se preocupe conosco Joseph, não pode partir para suas batalhas com a cabeça em outro lugar, ficaremos bem.
__Você vai cuidar dela por mim?__ ele sussurrou.
Paola sorriu__ eu prometo.
Ele assentiu, não totalmente satisfeito, mas já era alguma coisa.
__Agora, tenho um assunto importante para tratar com você__ Paola disse__ não quis falar nada antes de ter certeza absoluta, mas agora é o momento certo.
__Falar o que?
__Quando fui visitar sua mãe e Macayla, pediu que eu ficasse de olho em qualquer coisa que o ajudasse a descobrir onde elas estão, e eu menti quando falei que não descobrira nada, mas fiz por uma boa causa__ ele já ia protestar, mas ela ergueu a mão indicando que a deixasse terminar__ eu não vi absolutamente nada que fosse útil, por conta da venda, mas quando estava indo embora, um homem me reconheceu, ele chamou meu nome e se identificou, eu o reconheci pela voz, mas não me deixaram conversar com ele.
__Quem era?
__Um amigo meu, depois que voltei a Murdor conversei com ele, e ele me disse que me viu na cidade em que mora... Casterly.
__Elas estão em Casterly?
__Estavam__ ela o corrigiu__ mas disse que assim que eu fui embora as levaram para outro lugar.
__Droga...
__Espere, eu ainda não terminei__ ela avisou__ ele os seguiu Joseph, ele só me contou isso noite passada, por isso só estou contando agora. Meu amigo viu quando levaram as duas para Harenwall.
__Harenwall?__ Joseph sussurrou__ você está brincando... É verdade isso? Sabe onde elas estão? Elas estão mesmo em...
__Estão__ ela sorriu__ estão em Harenwall. Essa cidade fica bem perto de Severac e achei que como estava indo para lá poderia tentar descobrir se é certo, se há um modo de... De salvá-las.
Joseph sorriu, finalmente depois de dezoito anos sabia onde elas estavam.
__Acha que pode ser dessa vez Paola? Acha que consigo salvá-las?
__Acho que não podemos mais esperar querido__ ela deu de ombros__ é agora ou nunca.
__Obrigada Paola__ ele a abraçou__ não sei o que faria sem a sua ajuda.
__Não tem de que__ ela sorriu de volta__ escute, vá para Severac, veja o que Klaus está fazendo por lá e cumpra seu dever como deve ser, e quando tiver um tempo verifique se é mesmo certa a história sobre sua família. Se puder salvá-las, salve-as e vá embora para o mais longe que puder meu querido... Vá antes que seja tarde, pois estamos em tempos difíceis agora. Não podemos mais perder tempo.
__Está tudo acontecendo rápido demais__ ele respirou fundo__ mas eu vou conseguir. Em breve sairemos todos dessa maldita cidade Paola, estaremos todos livres, você vai ver... Eu prometo. Vamos embora, você, Vitória e seu bebê, o pequeno Peter, vou tirar todos desse maldito lugar como já havia prometido antes.
__Eu sei que vai__ ela sorriu e lhe acariciou o rosto__ agora vá cavaleiro das sombras... Vá que estão a sua espera.
Todos se juntaram para ver a partida do cavaleiro das sombras e seus homens. O pequeno Peter estava lá com sua espada, e Joseph despenteou seu cabelo antes de montar em seu cavalo negro e puxar o capuz para cobrir o rosto. Paola observou da porta do Bordel sorrindo com as novas esperanças que surgiam, era verdade que estava tudo acontecendo rápido demais, mas não havia mais tempo nenhum a perder, era agora ou nunca.
E Demetria observou o comandante partir de sua janela, ele olhou em sua direção com seus olhos azuis brilhantes se sobressaindo aquela imensidão negra. Não desviou os olhos até que ele sumisse na multidão e imaginou o que aconteceria agora. Depois de alguns minutos Paola surgiu no quarto.
__Você está bem?
__O Rei me quer em seus aposentos esta noite__ Demetria sussurrou__ não consigo suportar mais aquilo, não agora Paola.
__Ainda tem o vidro de sonífero que lhe dei?
Demetria sorriu de repente__ eu tinha me esquecido disso.
__Venha querida, vai dar tudo certo, você vai ver.

A Passagem Secreta.

Reino de Severac

Alguns dias de viagem e Joseph e seus homens finalmente chegaram a Severac. O Reino ainda estava devastado pela ultima passagem dos homens de Murdor por ali, a cidade tinha perdido a vida. Hugo, o homem responsável pelos assuntos por ali, estava na sala do Trono à espera de Joseph e sorriu ao vê-lo.
__Comandante, chegou cedo__ disse sorrindo__ sempre eficiente.
__A contrário de certas pessoas__ deu um falso sorriso__ viajei muito para chegar aqui vamos direto ao assunto.
Joseph nunca gostara de Hugo, ele era um homenzinho baixo, magricela, ruivo e tremendamente irritante, porém muito eficiente na tarefa de bajular o Rei o que nunca permitiu que Joseph enfiasse a espada em seu coração, como era realmente de sua vontade. Então os dois fingiam cortesias quando necessário, mas Joseph andava sem paciência para esses joguinhos, tinha muitos assuntos a tratar e pouco tempo para isso.
__Alguém está de mau humor hoje__ o homem disse ainda sorrindo__ siga-me comandante.

Joseph seguiu o homem pelo Palácio, que não parava de tagarelar imbecilidades durante todo o caminho. Porém depois de um tempo, Joseph simplesmente parou de ouvir o que o homem dizia, distraiu-se olhando tudo em volta e lembrando da ultima vez que estivera ali, matando pessoas, destruindo a cidade, seqüestrando a princesa, parecia que tinha acontecido em outra vida.
__Chegamos__ Hugo anunciou.
__Estamos na cozinha__ Joseph disse confuso.
__Que bela observação comandante__ o homem zombou__ o que quero lhe mostrar está atrás daquela porta.
Hugo apontou para uma porta de madeira no canto e Joseph foi até lá, esperando que não fosse nenhuma brincadeira, o que era assim tão importante que fizera Klaus ficar tão feliz de repente? Abriu a porta e suspirou.
__É a dispensa.
__Outra grande observação.
__Pare de fazer joguinhos comigo e diga logo o que tem a dizer ou juro por Deus que corto suas bolas fora__ ameaçou irritado.
__Mau humorado__ o homem revirou os olhos, passou por ele, o empurrando sem pedir licença. Afastou uma estante no canto do cômodo que estava repleta de alimentos, revelando uma segunda porta, essa no chão.
__O que é isso?
__Nossa passagem secreta__ Hugo sorriu puxando uma tocha presa na parede e a ascendendo, abriu a porta, revelando uma escada que descia em direção a escuridão e sorriu para Joseph__ venha comandante, não tem medo do escuro não é? Afinal é o cavaleiro das sombras.
Joseph se limitou a olhá-lo feio e o seguiu em direção a escuridão. A escadaria terminava em um corredor, um caminho sujo, apertado e meio sufocante, mas em pouco tempo Joseph avistou uma luz mais a frente e saíram em uma enorme sala. Joseph ficou boquiaberto, não era uma sala qualquer, era a sala do Tesouro. O lugar estava repleto de riquezas, desde moedas de ouro e prata, até jóias e objetos feitos completamente de ouro, além de muitas pedras preciosas.
__O que...
__A sala do Tesouro__ Hugo disse__ toda a fortuna de Severac está aqui nesta sala.
__Ele deixou tudo para trás quando fugiu__ Joseph comentou pegando algumas moedas e observando com um meio sorriso__ é muito ouro. Como não descobriram esse lugar antes? Reviraram todo esse lugar e não havia nada disso, como não enxergaram?
__Lembra-se do Marco? Um de seus homens? Ele era da guarda Real, alto, forte... Negro.
__Sei quem é, o que ele tem haver com isso?
__Ele era um espião de Robert__ Hugo explicou__ há muitos anos, e ele contava todos os nossos planos ao Rei de Severac. Ele só não delatou a ultima invasão porque foi mantida em segredo até o ultimo momento e ele estava em uma outra missão no momento.
__O idiota era um espião todo esse tempo e ninguém desconfiou?
__Pois é, ele sabia do esconderijo e estava desviando a atenção dos soldados desse lugar, por isso ninguém o encontrava. Mas o peguei no flagra alguns dias atrás vindo até aqui pegar um pouco de ouro. Ele estava levando o Tesouro para Robert aos poucos, para ele poder comprar soldados, armas, mantimentos e tudo o mais. Enquanto corríamos feito idiotas atrás do rabo, ele estava se fortalecendo e criando um exército para se vingar.
__Ele é bem mais esperto do que pensávamos__ Joseph mordeu o lábio enquanto pensava__ o que fizeram com Marco?
__Quando passar pelos muros da cidade outra vez verá que ele foi devidamente punido.
__Claro__ ele assentiu entendendo__ então agora Robert perdeu seu espião e seu dinheiro.
__Mas já sabe tudo que precisava, tem um exercito e armas boas... Pegamos esse idiota, mas Robert se fortaleceu de qualquer forma. Não mencionamos isso na carta a Vossa Graça, para evitar incidentes, mas você é um homem esperto e acho que estava implícito que estamos com um problema caso não os encontramos antes que resolvam nos atacar de surpresa.
__É, eu percebi isso sim__ Joseph concordou, problema era uma palavra muito fraca para definir a situação em que se encontravam, pelo menos para ele era assim.
__Tem mais uma coisa__ Hugo disse e apontou para o outro lado do salão__ está vendo aquelas passagens?
Joseph observou do outro lado da sala, havia mais três passagens iguais as de onde eles tinham vindo, todas escuras e sombrias.
__Onde vão dar?
__A primeira, a da direita__ Hugo apontou__ é um beco sem saída, você anda por longos minutos e não chega a lugar nenhum. A da esquerda tem várias bifurcações e cada uma delas da em um lugar especifico da cidade. Algumas dentro do palácio e outras fora, mas só podem ser abertas por dentro, por isso não achamos nada quando procuramos pela cidade.
__Tudo bem__ Joseph concordou__ e a terceira passagem? A do meio?
__Ainda não sabemos.
__Como assim?
__É a maior de todas as passagens, se estende por quilômetros e ainda não encontramos o fim__ explicou__ mandei três homens para explorar, disseram quem tem duas bifurcações. Em uma delas encontramos um dos soldados mortos, o outro está desaparecido há dias e ainda não voltou e o terceiro se recusa a entrar lá novamente. Já estão inventando histórias, dizem que o lugar é amaldiçoado, outros que tem monstros.
__E o que você acha Hugo?__ Joe o encarou impaciente.
__Acho que esse caminho leva ao esconderijo do Rei Robert__ ele disse sorrindo__ isso se formos inteligentes o bastante para encontrá-lo. Por isso você está aqui comandante, para nos ajudar.
__Entendi__ Joseph concordou e ficou um minuto em silencio para pensar__ volte lá fora e traga dez dos homens que vieram de Murdor comigo, o mais rápido possível.
__Tudo bem__ Hugo concordou__ você vai ficar ai?
__Vou esperar aqui, dar uma olhada enquanto isso.
__Vou precisar da tocha__ Hugo disse__ não se importa de ficar no escuro?
__Não tenho medo do escuro__ a escuridão não dava medo, e sim o que havia nela__ Agradeço se for logo, não temos tempo a perder, Klaus está muito impaciente.
__Como quiser comandante__ o homem sorriu e se retirou pelo túnel de onde vieram.


Escuridão.

Reino de Severac

Havia duas tochas na parede da sala, que era extensa demais, por isso não iluminava uma boa parte e quando Hugo saiu levando a outra tocha, Joseph se viu sozinho na penumbra, num silencio agourento, em meio aquele monte de ouro. Caminhou lentamente até a entrada do terceiro túnel e olhou para escuridão que se estendia. Joseph passara a maior parte de sua vida no escuro, quando era pequeno seu pai lhe mandava fazer tarefas com uma venda nos olhos, para que ele pudesse aguçar os outros sentidos e não depender unicamente dos olhos. Os olhos enganam você, você vê aquilo que espera ver.
O escuro não o incomodava há um tempo, outro motivo pelo qual recebera o apelido de cavaleiro das sombras, na verdade ele sempre enxergara bem no escuro, muito melhor do que outras pessoas, sempre se sentira a vontade no escuro. Mas as coisas mudavam. Ele caminhou lentamente pelo Túnel, usando as mãos, tocando nas paredes que eram bem próximas para poder se guiar. Uma vez que visse o caminho não o esqueceria nunca mais, ele era assim.
       
Fim do Capítulo

Túnel Sem Fim.

Reino de Severac

Joseph seguiu na frente pelo túnel estreito e escuro, ouvindo as vozes pasmas e assustadas dos homens logo atrás que não entendiam como ele não se incomodava com toda aquela escuridão. Mas ele ignorou a todos e se concentrou no caminho. O túnel realmente parecia não ter fim e impossivelmente parecia se estreitar ainda mais conforme avançavam.
__Esse túnel não tem fim__ um dos homens murmurou__ vamos morrer aqui dentro.
__Cale a boca__ Joseph ordenou.
__Está muito calor__ outro reclamou__ acho que estou sufocando.
__Eu mandei calar a boca__ Joseph repetiu zangado.
Parou de caminhar e se virou para tomar a tocha das mãos de um dos homens.
__Algum problema comandante?
__Tem alguma coisa errada nesse lugar__ ele sussurrou.
__Eu não entendo...
__Já passamos por aqui__ Joseph disse__ estamos andando em círculos, aquelas malditas bifurcações não levam a lugares diferentes, mas sim ao mesmo maldito lugar.
__Eu não...

__Todos vocês, de volta ao salão agora.
__Mas comandante...
__Eu disse agora__ ele ordenou aumentando o tom de voz.
Os homens não tiveram alternativa a não ser voltar, mas Joseph ficou onde estava e assim que se viu livre dos homens prosseguiu pelo túnel, apressando o passo. Não tinha necessariamente mentido, nem falado a verdade... Era uma meia verdade. Os homens que passaram por ali estavam realmente andando em círculos, confusos, pois havia uma bifurcação no túnel a cada setecentos metros e a escolha errada os fazia voltar ao mesmo lugar de onde vieram e era um exercício sem fim. Mas Joseph era esperto demais para cair nessa brincadeira e percebera o padrão.
Uma das passagens o levava ao lugar de onde viera e a outra o fazia seguir em frente. Havia uma pequena marcação na passagem correta para que pudessem se guiar, mas a escuridão e o medo cegavam e impedia que os homens descobrissem algo que era tão simples. Então por um tempo incontável naquela escuridão sufocante, Joseph seguiu pelo túnel, de passagem em passagem até visualizar uma porta.
Seu coração parou um instante quando viu o que havia do outro lado.

Quebra Cabeça

Quando Joseph emergiu de dentro do Túnel, Hugo estava a sua espera na porta, com aquele sorriso irritante no rosto.
__Comandante, que bom que apareceu, estávamos ficando preocupados, achamos que tinha se perdido lá em baixo, já ia mandar um grupo de busca para resgatá-lo.
__Agradeço a preocupação, mas estou perfeitamente bem.
__Você sumiu por horas.
__O que posso dizer? Eu gosto de ficar no escuro__ deu de ombros.
__Encontrou alguma coisa lá em baixo?__ Hugo quis saber.
__Não__ mentiu com um sorriso__ aquele lugar é um labirinto, um truque estúpido para fazer homens idiotas e medrosos andarem em círculos por dias e não chegarem a lugar algum. É uma perda de tempo Hugo.
__Que bom que Klaus o enviou aqui para evitar tamanha perda de tempo__ o homem disse sorrindo e Joseph não gostou nada do gesto, era sinistro demais para o seu gosto, aquele homem era... Estranho.
__É realmente uma sorte__ Joseph saiu da despensa e quando olhou pela janela para a noite lá fora percebeu que realmente tinha passado muitas horas debaixo daquele túnel, e só agora percebia o quanto estava cansado, sujo e com fome__ vou descansar um pouco e partirei de volta a Murdor de manhã, tenho outros assuntos do Rei para tratar.
__Como quiser comandante.
Hugo ficou observando enquanto Joseph se retirava e o comandante deu graças a Deus a se ver livre daquele homem. Escolheu um quarto qualquer no Palácio e tomou um banho para se livrar da sujeira, passou a pasta curativa no machucado do ombro que estava quase totalmente recuperado e comeu, não percebendo até aquele momento a extensão da sua fome. Depois deitou-se na cama para tentar dormir um pouco, mas sabia que não conseguiria, estava ansioso demais.
Talvez Demetria o ajudasse se estivesse ali também, mas àquela hora devia estar nos aposentos de Klaus o servindo e o pensamento não lhe trouxe nenhum conforto, só o deixou ainda mais inquieto e irritado. Tentou pensar no que encontraria pela manhã quando fosse a Harenwall, será que depois de dezoito anos finalmente veria a mãe e a irmã? Será que poria um fim em toda aquela confusão? Esperava que sim. Toda aquela guerra era um enorme quebra cabeça para se montar, e as peças estavam começando a se encaixar bem lentamente.
Joseph tentou não pensar no que tinha visto dentro daquele túnel. Seu dever era relatar aquilo ao Rei Klaus e provavelmente à guerra chegaria ao fim. Mas... Se contasse... Não sabia mais o que era certo e errado. Na verdade todos os caminhos a sua frente pareciam errados.
Fechou os olhos com força e respirou fundo... Tinha que se focar na única coisa que era realmente importante e certa em sua vida.

Harenwall

Assim que o dia amanheceu, Joseph partiu de Severac, deixando seus homens por lá por mais alguns dias e levando consigo apenas uma bolsa com uma pequena quantidade de ouro tirada da sala do Tesouro, para poder entregar ao Rei Klaus. Mas antes de partir para Murdor, ele tinha outro lugar a visitar... Harenwall. De Severac até Harenwall, era menos de um dia de viagem e Joseph chegou nos portões ao entardecer, mas não podia entrar na cidade e arriscar ser visto. De onde observava, contou pelo menos dez guardas nos portões e nos muros, imaginou quantos mais haveria lá dentro.
__Hey garoto__ ainda em cima de seu cavalo negro, ele chamou por um menino que passava pela estrada e caminhava em direção a cidade. O garoto o olhou com receio, um homem vestido de negro, usando capuz em cima de um cavalo negro não era lá muito confiável, mas ele se aproximou mesmo assim.
__O que foi?
__Você mora nessa cidade?__ ele apontou.
__Sim senhor, moro aqui__ ele concordou.
__Quer ganhar algumas moedas?__ Joseph perguntou abaixando o capuz e mostrando ao menino três moedas de prata.
__O que tenho que fazer?__ os olhos do menino brilharam.
__Quero que entre lá e conte pra mim quantos guardas tem na cidade__ ele pediu. Já estivera em Harenwall antes e sabia que era uma cidade muito pequena, o menino não ia demorar para dar uma volta completa e lhe dizer quantos guardas haviam__ e quero que me diga em que lugar cada um deles está e que tipo de armamento usam.
Tinha o mapa da cidade na cabeça, se lembrava de cada cantinho da ultima vez que estivera ali e vagar por lá não seria problema, mas precisava saber o que o esperava do outro lado.
__Acha que pode fazer isso?__ ele perguntou.
__Sim senhor__ o menino concordou.
__Tudo bem, te dou essas três moedas agora, e mais duas quando voltar se fizer o trabalho direito e não deixe que ninguém perceba o que está fazendo.
Jogou as três moedas para o menino e quando ele entrou correndo na cidade, cobriu novamente o rosto com o capuz e foi esperar com o cavalo na sombra, para sair da passagem e que para ninguém ficasse reparando nele. Desceu da montaria para que o cavalo descansasse um pouco, se escorou em uma árvore e esperou pelo menino, com os pensamentos bem longe. Imaginou como estariam as coisas em Murdor nesses dias que estava fora e não pode deixar de pensar como seria se realmente conseguisse tirar sua família daquela cidade. Pra onde iriam? O que fariam? Nunca tinha chegado a considerar essa parte, mas agora que estava tão perto de conseguir as perguntas iam se embaralhando em sua cabeça, lhe deixando confuso.
Não muito tempo depois, o menino voltou correndo e veio lhe encontrar sob a sombra da árvore.
__Então, fez o que te pedi?
__Sim__ o menino concordou__ Tem dois guardas no portão de entrada, mais vinte deles espalhados em cima dos muros da cidade, e outros dezoito espalhados pelas ruas, em frente ao comércio, como as forjas, a padaria, e os bares. E tem mais uns seis protegendo uma casa antiga bem lá no fim da cidade, ninguém sabe o que tem lá dentro, eles não deixam ninguém ver.
__Uma casa antiga?
__É sim, de madeira escura e bem velha e fica fechada o tempo todo.
__E as armas que os guardas estão usando?
__Estão todos de armadura, espada, alguns tem lanças e facas também.
__E como são esses homens?__ Joseph perguntou__ altos? Baixos? Fortes?
__São todos bem altos e fortes__ o menino disse__ porque quer saber tudo isso?
__Não importa__ ele pegou mais duas medas e pos na mão do menino__ você nunca me viu está entendendo? Não conte nada disso que te perguntei a ninguém.
__Tudo bem__ o menino concordou.
Joseph montou novamente em seu cavalo, e olhou na direção da cidade. Nunca tiraria sua família dali sem ajuda.
__Vá pra casa__ ordenou ao menino.
O garoto o fitou por mais um minuto e depois voltou pra dentro da cidade correndo. Joseph suspirou e então se virou e saiu dali a galope, correndo de volta para Murdor.
Fim do Capítulo

Esses Sentimentos.

Reino de Murdor

Demetria terminou de se arrumar e parou um minuto para se analisar e ver se não havia nada faltando. O vestido verde de tecido fino, decote e uma longa abertura nas costas, que revelava boa parte do corpo. Jóias, colar, brincos e pulseiras. O cabelo arrumado numa bela trança... O Rei era exigente e gostava que ela estivesse bem arrumada toda vez que fosse encontrá-lo.
__Está pronta querida?__ Paola perguntou da porta.
Certificou-se que o vidrinho de sonífero estava com ela, então virou-se e forçou um sorriso a amiga.
__Estou pronta__ concordou.
__Que bom, pois Joseph já está lá em baixo a sua espera__ ela disse.
O sorriso forçado, sem querer tornou-se autentico e o coração da princesa disparou.
__Ele retornou?
__Hoje a tarde__ Paola concordou__ não o deixe esperando, sabe como é o cavaleiro das sombras.

Demetria respirou fundo e esquecendo por um momento para onde estava indo e o que aconteceria depois, desceu as escadas do Bordel e foi de encontro a Joseph, que a esperava lá na porta. Estava vestido todo de preto, como era habitual, com suas calças, botas e camisa de manga comprida. Os cabelos estavam bagunçados e os olhos azuis olhavam lá para fora, sem nada realmente ver. Era tão errado, mas ela se achou sem fôlego quando o viu, parecia que tinha se passado séculos desde que o vira saindo da cidade e não dias. Não queria ter aqueles sentimentos, mas não pode evitar.
__Estou pronta__ ela murmurou, sua voz saiu fraca e estranha.
Os olhos dele a analisaram por um instante dos pés a cabeça e ele parecia querer sorrir, porém não o fez, somente estendeu a mão para ela e Demetria se aproximou, deixando que ele segurasse seu braço e a guiasse em direção ao Palácio.
__Como foi em Severac? Descobriram alguma coisa sobre meu pai?__ ela perguntou baixinho, para não correr o risco de alguém em volta ouvir. Não queria admitir, mas estava ansiosa por noticias do pai, ele tinha sumido por tempo demais.
__Não descobri nada útil__ ele disse, mas sua expressão mudou, deixando de ser tranquila e ele ficou inquieto. Demetria supôs que ele não estava muito a fim de falar sobre aquilo, ainda mais com ela que era filha do homem. A princesa então resolveu tentar mudar de assunto, talvez ele falasse de algo que fosse de maior interesse seu.
__Paola me falou que teve noticias sobre sua mãe e sua irmã__ ela comentou ainda mais baixo que antes__ conseguiu achá-las? Acha que agora poderá salvá-las?
__Não quero falar sobre isso__ ele murmurou__ não é uma boa hora.
E quando ele se calou novamente, fitando o caminho à frente com o rosto vazio, a alegria que ela sentira ao vê-lo se desfez. Talvez esses dias longe da cidade tivessem desfeito o encanto que pareceu surgir entre eles. Talvez ele tivesse percebido como aquilo que existia entre os dois era estúpido e impossível.
__Desculpe perturbá-lo com minhas perguntas, sou muito curiosa__ murmurou tentando manter o semblante relaxado.
Demetria se esforçou para manter o ar descontraído enquanto caminhava, sua pele formigava onde a mão dele a tocava e por um momento suspirou lembrando-se da noite que passaram juntos, aquelas mesmas mãos vagando por seu corpo, os olhos azuis a fitando com desejo, os lábios... Fechou os olhos com força pra tentar mudar o rumo dos pensamentos.
O silencio se estendeu por um tempo em que Demetria se ocupou em encarar o chão, até sentir o clima entre eles pesar.
__Se divertiu muito com Klaus em minha ausência?__ Joseph perguntou de repente, em tom brusco, ainda sem olhá-la.
__Como é?__ Demetria não esperava por aquilo e o encarou com total surpresa.
__Pareceu tão contente quando fui buscá-la__ ele comentou__ geralmente está mais séria quando a levo até o Rei, mas hoje não. Suponho que deve ter se divertido com ele nos últimos dias e que já não seja assim tão ruim ter de dormir com ele.
__O que? Eu gostar de dormir com Klaus? Enlouqueceu?__ ela o fitou irritada__ aquele homem me dá nojo. Eu estava feliz por ver você depois de tantos dias, mas passou rapidamente quando vi que o sentimento não era recíproco. Sou tão estúpida.
Ele parou de andar no meio do corredor, Demetria olhou em volta nervosa, achando que tinha alguém observando.
__Ficou feliz em me ver?
__Fiquei__ ela sussurrou fitando o chão__ Mas agora não estou mais, já percebi que é idiotice. Como pode pensar que me agradaria dormir com Klaus? Tenho feito o impossível nos últimos tempos para que ele não me toque, dando aquele bendito sonífero para ele, não faz ideia de como é difícil enganá-lo.
__Espere__ Joseph pediu__ continua dando o sonífero a Klaus? Não tem dormido com ele?
__Já faz semanas desde a ultima vez que me tocou__ ela confessou__ graças a Paola.
Um leve sorriso iluminou o rosto de Joseph, foi mais perceptível nos olhos que nos lábios, mas estava lá, ela pode ver.
__O que foi?__ ela o encarou confusa.
Joseph olhou em volta, depois a puxou para um canto fora de vista, a empurrando contra a parede e antes que ela pudesse dizer qualquer coisa a beijou. Foi um beijo extremamente calmo e gentil se comparado à situação e Demetria se surpreendeu com o gesto, porém se entregou, correspondendo o beijo e suspirando de deleite ao sentir os lábios dele contra os seus.
__Desculpe se fui rude com você__ ele sussurrou um tempo depois__ estava nervoso com tantos problemas e a ideia de ter Klaus tocando em você me causa nojo e uma raiva que não consigo explicar.
__Estava com ciúmes de mim?__ ela disse completamente chocada.
Ele ergueu a mão para acariciar o rosto dela, a fitando com olhos incrivelmente doces e gentis.
__Nunca gostei de mulher nenhuma como gosto de você princesa__ ele disse__ nunca me apeguei à mulher nenhuma a não ser Paola, mas ela é diferente, é minha amiga, como uma segunda mãe pra mim. Mas gosto de você embora saiba que é estupidez e não suporto a ideia de dividi-la com ninguém. Eu também fiquei feliz em vê-la, foi à única coisa boa desde que cheguei aqui, mas achei que estaria com raiva de mim pelo que houve da ultima vez... Eu ia deixar que o Rei a machucasse e...
__Não ia não__ ela negou sorrindo e ergueu a mão para tocar o rosto dele__ eu estava olhando para você naquele momento, vi quando deu um passo a frente e vi que ia tentar impedir que aquele homem me machucasse.
__Eu...
__Fiquei feliz por você não ter que fazer nada, não queria que sua família se machucasse por mim__ ela continuou__ não fiquei com raiva de você por aquilo, eu disse que não. A vida de sua família vale muito mais que a minha e você prometeu a sua irmã que a salvaria lembra?
__Não diga isso, sua vida é importante... É importante pra mim agora. Assim como a de Paola, a de Peter e...
__Shh__ ela pos o dedo nos lábios dele para calá-lo__ não vamos falar disso, não quero discutir. Apesar de estar sendo prisioneira nessa cidade, as coisas estão indo bem. Tirando aquele dia, Klaus não me machucou mais e eu não tive que me deitar com ele. É óbvio que está cada vez mais difícil enganá-lo para que tome o vinho e fazê-lo falar por um tempo até que o remédio faça efeito, mas estou conseguindo... Não conseguiria me deitar com outro homem, não depois de... Depois de nós.
Joseph a fitou um momento, então olhou em volta e pareceu lembrar de que tinha um trabalho a cumprir.
__Precisamos conversar, mas não pode ser agora... Depois que puser Klaus para dormir, vamos falar tudo bem?
__Tudo bem__ ela concordou.
Ele se inclinou novamente para beijá-la, dessa vez mais rapidamente e então segurou-a novamente pelo braço e seguiram em silencio em direção aos aposentos de Klaus. Demetria respirou fundo quando pararam na porta.
__Deseje-me sorte__ ela pediu.
__Boa sorte__ ele sorriu__ vou estar te esperando aqui fora.
Ela respirou fundo uma ultima vez e Joseph anunciou sua presença, entregando-a a Klaus e vendo a porta se fechar logo em seguida.

Sem Segredos

Demetria conseguiu colocar o Rei para dormir mais uma vez, não antes de ele á apalpar um pouco e lhe beijar o pescoço, mas logo tinha caído no sono e nenhum estrago fora feito. Joseph a estava esperando na porta como dissera e a levara em segurança de volta ao Bordel. Ele entrou com ela e a seguiu até seu quarto, alegando que era melhor que conversassem ali do que em sua casa onde os outros podiam suspeitar de alguma coisa, mas Demetria se recusou a conversar antes de tomar um banho e se livrar do cheiro daquele homem repugnante que ficara impregnado em sua pele.
Joseph ficou esperando por ela no quarto e quando Demetria retornou o encontrou deitado em sua cama, com ar tranquilo.
__Vejo que já está bem acomodado__ ela comentou caminhando até ele.
__Sua cama é confortável__ ele disse sorrindo, aparentava mais tranquilidade do que realmente sentia, mas queria aproveitar um pouco daquela noite. Não queria pensar somente em problemas, queria ela e queria esquecer o resto do mundo.
__Como está o ombro?
__Não dói mais__ ele respondeu__, mas a ferida ainda não cicatrizou completamente e ainda coça. Estou passando a pasta que o Mrs. Galvin recomendou, a levo comigo para todo lugar por precaução.
__Posso ver?__ ela perguntou um tanto receosa. Apesar de terem passado a noite juntos, de ele confessar que gostava dela e mostrar que não era tão mal como aparentava, ainda não se sentia completamente a vontade ao lado dele, ainda tinha medo. Não dele em si, mas do futuro, ainda havia algo que a impedia de se abrir completamente e ela sabia que era o mesmo para ele.
Ele a segurou gentilmente pelo braço e a fez sentar-se por cima dele. A princesa não resistiu, apenas se deixou levar.
__Pode__ ele concordou e ergueu a mão para desfazer as amarras da blusa.
Quando ele terminou, deixou as mãos largadas ao lado do corpo e Demetria abriu a blusa, revelando o peitoral musculoso. Correu os dedos pela pele morena dele, um toque suave e despreocupado, mas sentiu ele se contrair levemente com o toque. Parou quando alcançou o machucado, deslizando os dedos em volta.
__Está bem melhor__ ela comentou.
__Pelo menos não dá mais vontade de vomitar quando se olha__ ele brincou.
Demetria deu um meio sorriso, estava só meio consciente do que ele dizia, os pensamentos distantes.
__Fui até Harenwall__ ele comentou e isso chamou a atenção dela.
__Paola me disse que sua mãe e Macayla estão lá__ Demetria o olhou com interesse__ conseguiu vê-las? Estão mesmo lá?
__Não cheguei a entrar na cidade__ com a ponta dos dedos, começou a brincar com o cordão entre os seios, que segurava a parte de cima do vestido que ela agora usava__ eles tem muitos guardas espalhados por lá e concerteza saberiam quem sou. Eu poderia matá-los todos sem problemas, mas não sem arriscar a vida de minha mãe e minha irmã.
__E o que vai fazer? Klaus não deve deixá-las lá por muito tempo.
__Preciso de ajuda__ ele suspirou__ preciso de homens confiáveis que me ajudem a invadir a cidade e tirá-las de lá, eu tenho um plano, mas não funciona para um homem solitário e é exatamente o que sou. Não tenho amigos que vão querer arriscar a vida por mim desse jeito.
__Você tem amigos sim__ ela protestou.
__Paola, Peter e você não contam princesa__ ele desfez o laço e foi desfazendo uma por uma as amarras, o vestido foi se abrindo lentamente, mas Demetria não deu muita atenção, concentrada no que ele dizia__ Vocês não tem como ajudar, preciso de homens fortes que saibam manejar uma espada e estejam dispostos a morrer se preciso.
__Paola tem muitos amigos, aposto que o ajudariam se ela pedisse... Como Harry__ ela o lembrou__ ele concerteza aceitará lhe ajudar. Voe só precisa ser um pouco mais otimista.
__Gosto do jeito como vê as coisas__ Joseph disse com um meio sorriso__ mas com ou sem ajuda, darei o meu jeito e farei isso o mais rápido possível. Não tenho mais tempo a perder e nem quero. Dezoito anos Demetria... Cansei de ficar brincando com Klaus.
__Você vai conseguir__ ela o encorajou__ gostaria de poder ser mais útil, mas... De qualquer forma, você é o cavaleiro das sombras. Não há nada que não consiga fazer.
__As pessoas adoram me lembrar disso. É só um apelido que inventaram... Não diz nada sobre mim de verdade, quem eu sou ou do que sou capaz. Histórias são apenas histórias princesa__ terminou de desfazer as amarras e a parte de cima do vestido deslizou pelos ombros dela, caindo até a cintura e revelando os seios redondos e fartos__ As histórias falam sobre minha capacidade de matar, mas não falam sobre meu coração ou minha inteligência.
__Ou do seu ego enorme__ ela brincou para aliviar o clima, e se arrepiou ao sentir o olhar dele sobre seu corpo e a ponta dos dedos em seu seio, rodeando o mamilo. Quando ele dissera que precisavam conversar, não estava esperando por aquilo, mas gostava da situação. Queria que a última noite que passaram juntos se repetisse, que ele a fizesse esquecer dos problemas.
Ele se limitou a sorrir, tomando ambos os seios dela em suas mãos e os massageando lentamente.
__Vou tirá-las daquele lugar__ ele disse sem parar de acariciá-la, Demetria suspirou, tombando a cabeça para trás, aproveitando a sensação__ vou levar também Paola desse lugar, devolver a vida que lhe foi roubada e também Vitória e seu bebê. Agora que está grávida ela merece mais que passar a vida em um Bordel, ainda é nova, pode recomeçar.
Demetria sorriu em meio a outro suspiro, gostava como apesar de toda aquela dureza e seriedade do cavaleiro das sombras, Joseph tinha um coração enorme, que se preocupava com os outros.
__Vou levar também Peter comigo, e a família dele se quiserem ir__ continuou falando, apertando-lhe os seios com um pouco mais de força, a princesa inclinou o corpo para trás, apertando as pernas dele__ e você também. Pode vir conosco, ou voltar para sua família, como preferir, mas não a deixarei aqui.
__Voltar para minha família?__ ela se ajeitou para fitá-lo.
__Seu pai... Seu príncipe__ a mão dele desceu do seio, acariciando a barriga e adentrando o vestido__ Alex deve estar a sua espera. Ele prometeu que a salvaria e tentou duas vezes, embora... Sem sucesso.
__Ele não é meu príncipe__ ela revirou os olhos querendo respondê-lo de forma malcriada, mas a protesto se perdeu quando sentiu os dedos dele em sua intimidade, lhe acariciando intimamente. Mordeu o lábio com força para conter o gemido__ Acha que depois de tudo isso eu ainda me casaria com ele?
__Pensei que o amava__ ele comentou brincalhão, mas Demetria viu a curiosidade brilhando em seus olhos azuis__ parecia muito contente porque iria se casar com ele.
__Isso foi à antiga Demetria__ ela arrastou as unhas pelo peitoral dele, se contorcendo com a caricia que ele lhe fazia enquanto tentava manter a postura e o raciocínio para continuar a conversa__ Alex encontrará outra mulher que lhe faça feliz. Também cheguei a pensar que o amava, mas foi a ideia boba de uma princesa. Estou cansada de príncipes.
__Estão um príncipe está fora de cogitação?__ ela não entendeu bem o que foi aquilo que viu nos olhos dele, parecia divertido com alguma piada que ela não entendeu, mas não estava lúcida o bastante para se concentrar nisso. Deixou que um gemido escapasse quando ele aumentou um pouco mais a velocidade das caricias__ vai investir nos plebeus?
__Descobri recentemente um fraco por cavaleiros mal humorados__ ela disse com um suspiro.
__É bom saber.
Ela se inclinou sobre ele, e juntou seus lábios para saciar aquele desejo que a invadia. Joseph continuou a acariciá-la, até que a sentiu enterrar as unhas em seus braços e partiu o beijo sem fôlego para soltar um gemido alto de satisfação ao alcançar o clímax. Ela corou envergonhada e escondeu o rosto na curva do pescoço dele, respirando com dificuldade.
__Então é bom com os dedos também?__ ela brincou.
__Tenho muitos talentos__ ele sorriu.
Depois de mais um minuto, Demetria se ergueu novamente para fitá-lo.
__Quanto ao meu pai__ ela murmurou enquanto retirava o vestido pela cabeça, ficando completamente nua sobre ele__ nem ao menos sei onde ele está. Ao que tudo indica nem está mais no país.
Ela retirou a camisa dele com cuidado e Joseph mordeu o lábio sem saber se deveria contar ou não a ela o que descobrira.
__Ele não iria embora sem você.
__Você não o conhece Joseph.
__Acho que você também não.
Demetria suspirou__ não quero falar dele agora.
Joseph a fitou com atenção, ainda indeciso, enquanto ela retirava sua calça e a largava em algum canto do quarto.
__Sou meio novata nesse ramo__ ela comentou com um meio sorriso, começando a distribuir beijos pela barriga dele__ Vitória me ensinou muitas coisas quando cheguei aqui, mas nunca cheguei a fazê-las. Vai ter de me dizer se estou ou não fazendo certo.
Ele pensou em responder com alguma piadinha, mas logo decidiu que deveria contar a ela o que descobrira em Severac. Não queria ter segredos com ela, estava cansado de mentiras e falsidade. Mas as palavras se perderam na garganta quando os dedos dela envolveram gentilmente seu membro, o acariciando lentamente. Fechou os olhos, suspirando em deleite e esqueceu até o próprio nome ao sentir os lábios macios dela o envolverem e a língua quente o sugando com vontade. Era inexperiente, mas muito boa no que fazia.
__Estou fazendo tudo certo comandante?__ ela perguntou com uma voz sexy, queria agradá-lo como ele fizera com ela. Queria que sentisse prazer com ela e não precisasse ir atrás de nenhuma outra mulher. Ela não queria príncipe nenhum, não mais... Queria apenas ele e sabia como aquele desejo era perigoso, mas não o fazia ser menos forte ou poderoso.
__Sim, está sim__ ele respondeu baixinho, mordendo os lábios com força.
A fitou com atenção enquanto ela lhe dava prazer, acariciando seus cabelos. Nenhuma mulher nunca o deixara tão excitado como ela, nenhuma mulher o enlouquecera como ela. Nenhuma mulher conseguira ganhar o seu coração como ela o fizera. Depois de um tempo a princesa parou, engatinhou de volta até ele e o beijou com desejo, antes de fundir seus corpos, dessa vez ficando por cima, tomando o controle da situação. Ele gostava como ela parecia inocente e ao mesmo tempo decidida. Queria uma coisa e não tinha medo, apesar de todos os outros pensarem o contrário.
Também gostara muito da visão, da princesa montada nele. Mordendo o lábio com força para conter os gemidos. Mas ele não se importava com o barulho, estavam mesmo dentro de um Bordel. Era a primeira vez que transava com uma mulher de verdade, não com uma prostituta. A primeira vez que fazia amor de verdade, porque deseja a mulher e não somente porque precisava de sexo e gostava daquilo, de como parecia certo. Esperava que durasse, que conseguisse mesmo tudo que queria e que sua história tivesse um final feliz... Eles mereciam um final feliz não mereciam?
Quando terminaram ela se aninhou nos braços dele, cansada e satisfeita, completa. O corpo dele a protegeu do frio que fazia lá fora, estava completamente em chamas e tão feliz que tinha medo. Era uma prisioneira numa cidade estranha cheia de pessoas ruins, aquela felicidade toda não lhe devia ser permitida. Mas não queria abrir os olhos e voltar à realidade.
__Preciso lhe contar uma coisa Demetria__ ele sussurrou depois de um tempo.
__Pode falar o que quiser__ ela murmurou um pouco tensa.
__Klaus me enviou a Severac porque descobriu a passagem secreta de seu pai no Palácio__ ele disse.
Ela se afastou um pouco e se apoiou no cotovelo para olhá-lo.
__A passagem na dispensa?__ ela engoliu em seco.
__Pensei que não soubesse onde ficava.
__Não sei onde fica o esconderijo, mas sabia onde ficava a passagem que levava a ele... Nunca cheguei a entrar lá.
__Eu entrei__ ele disse pondo uma mecha do cabelo suado dela atrás da orelha__ e achei o esconderijo de seu pai.
__Você... Você... Você o viu?
__Vi__ ele concordou__ vi ele, Alex... E muitos soldados e armas. Ele está se preparando para nos atacar.
__E o que aconteceu?
__Eles não me viram, observei escondido por um tempo e depois fui embora.
__Você contou ao Klaus?
__Não__ ele negou__ eu devia, mas não contei. Não consegui entregá-los pois senti que a estaria traindo de alguma forma se o fizesse, afinal tudo que eles querem é salvá-la. E não... Não vejo porque eu deva ajudar Klaus, agora que sei onde minha família está, às coisas são diferentes.
__Então não vai contar a ninguém?__ os olhos dela brilharam com lágrimas e seu coração estava disparado.
__Não vou não__ ele disse limpando uma lágrima que escapou__ e não acho que Klaus vá descobrir sem a minha ajuda. O esconderijo fica no subterrâneo, não importa o quanto procurem, não vão achar nada. Seu pai é um homem esperto.
__Então... Então ele não me abandonou?
__Claro que não, ele seria estúpido se o fizesse.
Demetria chegara a pensar que seu pai havia lhe esquecido, e chegou a desejar que o fizesse. Mas agora se sentia mal por pensar tal coisa, não importava o que o pai tinha feito ou como tinha mudado, ele nunca a abandonaria nas mãos de Klaus dessa forma. Ele só estava, assim como Joseph, esperando o momento certo para salvar aquilo que amava.
__Então vai mesmo haver uma guerra?__ ela o fitou com preocupação.
__Creio que sim. Não vejo mais como evitar isso.
__E... __ ela respirou fundo__ de que lado você vai lutar?
__Não sei o que vai acontecer__ ele disse sinceramente__ tudo vai depender de como as coisas acontecerão nos próximos dias, mas você sabe de que lado ficaria se tivesse escolha não sabe? Se não tivessem tantos riscos?
__Sei sim__ ela assentiu desviando os olhos de seu rosto para suas mãos que estavam entrelaçadas.
__Acho que não serve de muita coisa.
__Serve sim__ ela discordou__ serve sim.
E se abaixou novamente para abraçá-lo e deitar a cabeça em seu peito, fechando os olhos na segurança de seus braços fortes.
__Vai dar tudo certo__ ele sussurrou acariciando os cabelos dela__ vou concertar tudo isso minha princesa.
Ela nada disse, fechou os olhos e adormeceu ao som dos batimentos do coração dele.
Fim do Capítulo 

14 comentários:

  1. AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH

    MUITO PERFEITOOOOOOOOO ! JEMI FOREVER !

    **TO FELIZ PQ ACABEI DE VER O JOE E O NICK CANTANDO ... E AGR TO ANIMADA DEMAIS !

    LINDOOOOOOOOOOOOOOO , QUERO MAIS !!

    POSTAAAA LOGOOOOOOO

    BEIJONASSSSS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KK ... Quanta animação ... POSTEI !!! Beijos

      Excluir
  2. Que lindoooooooooo!!! *---*
    E ele achou a família dele!!!! \o/
    Posta logo!!! xx

    ResponderExcluir
  3. Nova leitora!
    Adorei o seu blog!

    Se não for incomodar, se gostar será que poderia se tornar seguidora do meu blog?
    É esse: http://dianaisabelpinto.blogspot.pt/

    Posta logo!

    Bjs :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Q BOM AMOR Q VC ESTÁ GOSTANDO E SEJA BEM VINDA ... Já segui ... Postei : ) XOXO

      Excluir
  4. POSSSSSSSSSSSTA LOOOOOOOOOOOGOOOOOOOOOO

    AMR , VC VAI ME MATAR !!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. POSTEI E POR FAVOR Ñ MORRE ... KK ... XOXOXO

      Excluir
  5. To eu aqui de novo kkkk

    Selinho pra vc amore =)))

    http://jemilovely.blogspot.com.br/2012/07/selinho-da-juh.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KK ... Q isso pode comentar quantas vezes vcs quiserem ... E MTO OBRIGADO PELO SELINHO JÁ VOU REPASSAR ...

      Excluir
  6. Posta logooooo!
    Já tem uma semana que você postou, tô morrendo de curiosidade!!

    ResponderExcluir
  7. POXA, DESSE JEITO VOU ATE PARAR DE LER O BLOG. tUDO BEM QUE VC TEEM SUAS RESPONSABILIDADES MAIS VC TBM TEM UM COMPROMISSO COM A GENTE!DESCULPA A IRRITAÇAO MAIS É QUE AS VEZES FICO CHATEADA COM A DEMORA. POSTA LOGO POR FAVOR, A HISTÓRIA TÁ LINDA!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah amr ñ para ñ mais é q hove alguns probleminhas esses 9 dias ... E infelismente colegio é sempre em primeiro lugar e fora q minha mãe estava no hospital ... E sem problemas eu tbm já tive e tenho dias de irritação ... POSTEI ... XOXO

      Excluir